Buscar
IBC Coaching

Professor Gretz
Bassos & Associados
Abrinq
Apdata
Banner p e n

Artigos
Imprimir Enviar e-mail Adicionar aos favoritos

A importância das redes sociais

Elsimar Gonçalves


As redes sociais são hoje a base dos relacionamentos da Geração Y e também de uma grande parte da geração X. Por meio das redes (twitter, facebook, orkut, youtube), somos capazes de criar amizades, namoros, compartilhar conhecimento e, por que não, negócios. No entanto, isso ainda gera contradições, afinal, junto com as redes sociais, ainda existe a sombra da improdutividade e da insegurança que ronda a internet.

 

Grande parte das empresas ainda restringe o acesso aos mecanismos “teens”, esquecendo que eles têm a capacidade de gerar conhecimento, numa velocidade nunca vista antes. Por isso, são fundamentais para as empresas. Tudo bem administrado, bem clarificado, pode gerar um bom retorno.

 

A participação das empresas nas redes sociais se torna cada dia mais vital, porém, só isso não basta. É preciso preparar os colaboradores para que essa liberdade não se torne abusiva. Recentemente, vimos um executivo perder o emprego por colocar um comentário inapropriado de um time de futebol.

 

O único detalhe é que a empresa que ele trabalha era patrocinadora deste time. Um dos problemas das redes sociais é que elas expressam emoções, diferente do mercado corporativo que se expressa pela razão.

 

É preciso estudar o público que queremos atingir e verificar se o produto da empresa cabe no “ideal” da rede social escolhida. As redes sociais são capazes de atender a todos os públicos - dos mais conservadores aos mais ousados. Algumas questões fundamentais precisam ser analisadas:

 

Qual a linguagem que esta rede usa (é formal ou informal)? O público espera um comentário de um curso ou uma promoção de determinado produto? Quais os assuntos mais frequentes de determinada rede? Já imaginou a reputação de uma empresa que envia “material de trabalho”, justamente, no dia em que a rede estiver debatendo lazer e balada?

 

Esse tipo de ferramenta acabou se tornando uma tendência. Temos uma nova geração que compartilha 100% de seu conhecimento e atitudes na internet. Chamo essa geração de “Y 2.0”.

 

Vejo, nas redes sociais, as pessoas perguntarem qual o livro legal para se ler no frio ou qual a cor do no carro X que mais se destaca na noite. Recentemente, vimos uma montadora colocar um “blog” para proprietários do carro X deixarem seus comentários sobre o veiculo.

 

Enfim, estar nestas redes sociais, hoje, é uma questão de sobrevivência, não que isso seja fácil, a luta pelo melhor produto e atendimento ainda continuam acirradas, porém, as redes sociais são fortes influenciadores de opinião e marca.

 

Diz o ditado: “São precisos dez anos para se construir uma imagem e 10 segundos para destruí-la”. Esse aforismo tornou-se verdadeiro. Dez segundos é o tempo que se leva para causar um grande estrago numa rede social.

 

É preciso avaliar quem cuidará das informações que estarão nestas redes; quem administrará os possíveis conflitos que possam surgir; qual a estratégia comercial e de marketing que a empresa pretende usar.

 

Hoje, existem profissionais contratados só pra cuidar das relações com as redes sociais. Gostaria de lembrar que o público destas redes é formado pela “Geração Y 2.0”. Eles não têm papas na língua. Se gostam, falam pra todo mundo (nos mínimos detalhes); e se não gostam, idem.




Voltar


Comentários (22)
Envie seu comentário

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

Digite as palavras que você vê na caixa, em ordem e separadas por um espaço. Para deficientes visuais também há possibilidade de ouvir a palavra clicando no ícone áudio. Se você não conseguir entender bem as palavras, digite o que você conseguir entender ou clique no botão de recarregamento próximo às palavras distorcidas.

Enviar



Imprimir Enviar e-mail Adicionar aos favoritos






Áreas de Conteúdo

Top of Mind de RH

Top of Mind de RH

Redes Sociais

Facebook Flickr Orkut

Fan Pages